4Taste – Actores querem dar um ar de rock

Novembro 27th, 2006 Colocado em Morangos

O público já conhece algum do talento dos 4Taste pela amostra que a TVI, através da novela ‘Morangos com Açúcar’, tem vindo a oferecer. Mas agora os rapazes vão tornar-se numa banda a ‘sério’ e saltar da ficção para a realidade. A intenção é protagonizar um fenómeno de sucesso tal como os seus antecessores, os D’ZRT.

Os 4Taste ‘frequentam’ há quase oito meses a ‘Escola dos Navegantes’ – que é como quem diz o elenco dos ‘Morangos’ – mas só agora vão autonomizar-se das personagens que encarnam na novela.

Antes da secção de fotos para o Correio Êxito, um elemento da produção responsável pelos quatro actores/músicos mostra preocupação. “Faz qualquer coisa a esse cabelo Luke”, afirma, enquanto despenteia as melenas louras do vocalista dos 4Taste, cujos traços não renegam a ascendência britânica (por parte de mãe). Alguém se lembra de que “talvez fosse bom um pouco de maquilhagem” e, a reboque, uma embalagem de ‘blush’ salta do interior de uma mala feminina para resolver o contratempo.

No parque dos Nirvana Studios, que acolhem os ensaios do grupo, Francisco, David, Nélson e Luke acatam o atraso com abnegação e, mesmo contrafeitos, põem a cara a jeito para o tal pó que lhes dará cor nas fotografias. Têm noção da oportunidade que têm entre mãos e a humildade de quem só agora encetou o caminho para o estrelato.

“Quando fizemos o casting já sabíamos ao que íamos. A principal exigência era que soubéssemos tocar. A produção procurava músicos para formar uma nova banda no contexto da ficção. Porque é de fazer música que gostamos, tínhamos de agarrar a oportunidade. É uma boa porta para começar uma carreira”, justifica Nelson, rapaz ponderado na ‘vida real’, postura bem diferente do vilão que interpreta na trama da TVI.

Desde o primeiro momento da “nova vida” que lhes coube em sorte, os quatro jovens dividem o tempo passado no ‘plateau’ com a preparação do seu primeiro disco, que esta segunda-feira chega aos escaparates. “As três primeiras músicas foram gravadas logo no início, mas quando começámos a ter menos tempo por causa da novela, tivemos de abrandar o ritmo. Depois houve uma semana em que nos sentimos mais inspirados e metemos na cabeça que tínhamos mesmo de fazer duas músicas. Foi assim que nasceram os tema ‘Leva-me Assim’ ‘Eu Não Quero Olhar (P’ra Trás)’”, recorda David.

Nos 4Taste o processo de trabalho seguiu lógica contrária a qualquer banda na garagem: a música já era ponto assente mesmo quando os músicos ainda não tinham estabelecido uma relação de amizade e confiança entre si. “Só com o tempo começámos a conhecer-nos melhor, como músicos e como pessoas, o que também é importante…”, diz Francisco.

Esta é a primeira entrevista que o grupo faz. No dia anterior, tiveram um ‘briefing’ exaustivo que tentou prepará-los para todo e qualquer tipo de perguntas. Talvez por isso, os quatro jovens começam por medir bem as palavras, mas, à medida que a conversa avança, as confidências tornam-se mais fáceis.

Os 4Taste ainda estão verdes, mas já têm histórias para contar. Como a daquela “miúda que estava no estúdio com um cartaz e que desatou aos berros”: “Francisco, eu amo-te!” Depois desatou a correr em direcção ao alvo do seu amor platónico e pespegou-lhe dois beijos. O ‘Romeu’ deste episódio é o baterista, Francisco, que ainda não sabe como reagir a tais reacções exacerbadas. “Uma pessoa não está nada à espera que aquilo aconteça… e a minha timidez não ajuda.”

O melhor mesmo é habituar-se. No próximo mês, os 4Taste vão ter de enfrentar as maiores plateias do País – certamente repletas de meninas apaixonadas – como o Pavilhão Multisusos em Guimarães (16 de Dezembro) ou o Campo Pequeno em Lisboa (23).

Enquanto a ‘prova dos nove’ não chega, os 4Taste ainda se podem dar ao luxo de alegar um certo “nervosismo”. “Não sabemos o que é que isto vai dar. Claro que os resultados também dependem de nós e estamos a dedicar-nos a 100 por cento. Além disso, música portuguesa, feita por artistas nacionais e cantada na língua de Camões, nunca é demais”, acrescenta Luke, como quem já sabe de ‘cor e salteado’ a cartilha para a fama…

NÉLSON PATRÃO

Estava a estudar Música e Novas Tecnologias em Torres Vedras mas acabou por interromper o curso para integrar o elenco de ‘Morangos com Açúcar’. Não gosta de ser ‘melga’ para os amigos e tem como principal referência musical os Nirvana.

FRANCISCO BORGES

Frequenta o quarto ano de Direito e, talvez por isso, é o mais eloquente do grupo. Tem 22 anos e já toca bateria há oito, mas a sua formação musical começou pelo violino. Gosta de jogar ténis e adora Dave Mathews Band. Diz que é muito teimoso e ambicioso.

LUKE D’EÇA

O vocalista dos 4 Taste odeia matemática, mas ainda assim terminou este ano o Ensino Secundário. Antes fazia teatro amador no grupo ‘Lisbon Players’ e tocava numa banda em bares. Tem 19 anos, é do signo Sagitário e tem ascendência britânica.

DAVID GAMA

Antes dos ‘Morangos’, o baixista de 25 anos tinha uma banda com Nélson, os The Starvan. É a alma punk do grupo, apesar de ser o mais tímido dos quatro.

ESTREIA

Os 4 Taste vão realizar a sua primeira apresentação ao vivo já depois de amanhã (21h00) no palco do Hard Rock Café, cenário bem a condizer com as suas referências e estilo musical. O evento serve para assinalar o lançamento do álbum e dar início a uma megadigressão nacional, para a qual têm vindo a ensaiar muito a sério.

FILMAR NUM T2 EM CAMPO DE OURIQUE

O primeiro videoclipe dos 4Taste, feito para o tema ‘Só Tu Podes Alcançar’, foi filmado no passado fim-de-semana num simples T2 em Campo de Ourique. O enredo, aliás, assim o exigia: o vídeo conta a história de um afoito grupo de amigos que aproveita o facto dos pais de um deles estarem fora para fazer, imagine-se, um concerto em casa. Para o efeito, foram contratadas quase três dezenas de figurantes de tenra idade que ‘emprestaram’ o devido rebuliço ao outrora pacato apartamento. Os ‘pais’ não regressaram de repente, mas, ainda assim, o final não é feliz. É que, apesar da irreverência, o herói do filme dos 4Taste não tem coragem para se declarar à rapariga dos seus sonhos…

DIGRESSÃO

– Faro – 2 de Dezembro (22h00) – Pavilhão do Farense

– Arcos de Valdevez – 8 de Dezembro (22h00) – Centro de Exposições

– Barcelos – 9 de Dezembro (22h00) – Pavilhão Municipal – Barcelos

– Castelo Branco – 10 de Dezembro (17h00) – Pavilhão do NERCAB

– Coimbra – 15 de Dezembro – (22h00) Pavilhão Multidesportos

– Guimarães – 16 de Dezembro (22h00) – Pavilhão Multiusos

– Porto – 22 de Dezembro (22h00) – Pavilhão Rosa Mota

– Lisboa – 23 de Dezembro (22h00) – Campo Pequeno

D’ZRT NÃO SENTEM AMEAÇA

Com dois anos e meio de existência, os D’ZRT tornaram-se no maior fenómeno musical dos últimos tempos em Portugal, facto comprovado pelos mais de 250 mil discos vendidos e duas centenas de concertos efectuados em todo o País. A eles coube-lhes inaugurar a fórmula do casamento feliz entre a televisão e a indústria discográfica, pisadas que agora serão seguidas pelos 4Taste. Mas não se sentem ameaçados pela nova banda da novela ‘Morangos com Açúcar’.

“Já nos fizeram essa pergunta várias vezes, mas a resposta, sincera é mesmo esta: não nos sentimos ameaçados”, garante Cifrão, um dos elementos dos D’ZRT, que acredita que o grupo já conseguiu conquistar o seu lugar no panorama nacional. “O mais importante é que haja cada vez mais gente a gravar discos e que as pessoas tenham cada vez mais vontade de ouvir música. O mercado tem de mexer”, acrescenta Cifrão.

Na verdade, para lá das origens televisivas e dos nomes que remetem para experiências gastronómicas e recorrem a jogos gráficos, os dois projectos têm pouco mais em comum.

Se os primeiros apostaram no hip–hop e nos ritmos mais dançáveis (desde o R & B à música latina), os segundos vêm defender o ‘velhinho’ rock. Se os primeiros a chegar ao pódio vestem calças largas e descaídas, que deixam os boxers à mostra – para gáudio das meninas –, os segundos trazem os jeans rasgados e lembram vagamente as bandas de rock da nova vaga, como os The Killers, Green Day,Strokes ou White Stripes.

Os D’Zrt transpiram sensualidade, bronzeado e desportos radicais por todos os poros, os 4Taste têm aquele ar vagamente perdido e misterioso dos rebeldes urbanos….

Quando confrontados com uma possível rivalidade com os D’ZRT, a resposta dos 4Taste alinha pela mesma bitola. Também acreditam que “há espaço para todos”, mesmo depois de já terem saído vários projectos da saga infanto-juvenil mais vista dos últimos tempos: “Cada nome abrange um público diferente.” E aproveitam para defender a sua dama: “É uma oportunidade para revitalizar o rock. Se calhar há muitos miúdos a ouvir hip-hop porque é moda, mas agora podem descobrir um som que lhes diga mais qualquer coisa…”, diz David, fã confesso dos Nirvana e dos Guns n’ Roses. Neste mano a mano, só resta ver quem vai sair a ganhar.

Fonte: Correio da Manhã


Deixa um comentário