Benedita Pereira: “Não foi nada fácil vestir a pele de um homem”

Outubro 17th, 2009 Colocado em Morangos

Benedita Pereira

A série “Ele é Ela”, que a TVI estreia em breve, traz de volta a primeira heroína romântica de “Morangos com Açúcar”. Num corpo sedutor, o desafio é agora fazer-se passar por um homem.

Ao longo de 26 episódios, Benedita Pereira vai ter de convencer o público que, sob o seu aspecto sedutor e curvilíneo, é Júlio, um jornalista mulherengo. Júlio acorda um dia num corpo feminino como castigo por ter seduzido e abandonado uma cientista e inventora de uma revolucionária fórmula química…

– Como foi vestir a pele de um homem ?

Ainda estou a recuperar do choque… Não foi nada fácil. Foi divertido e, ao mesmo tempo, penoso. Foi uma personagem muito trabalhosa.

– Que foi mais complexo no trabalho de composição?

Foi complicado chegar ao nível de concentração que o enredo exigia, porque a personagem é muito diferente de mim psicológica e fisicamente. O processo de construção da personagem foi igualmente complicado, foi preciso ir tentando vários caminhos.

– Os universos feminino e masculino são, de facto, opostos?

Somos muito diferentes e há comportamentos muito típicos de homens e de mulheres. Esta série vai desvendar e caricaturar um pouco isso.

– Ensaiou com o actor Marco D’Almeida, cujo papel assume na série?

Estudei com o Marco D’Almeida, mas depois deste trabalho em conjunto tive de fazer o meu percurso individual.

– Em quem se inspirou para desenvolver a sua personagem?

Levei muito tempo a observar pessoas. Tive em linha de conta uma faixa etária e o facto de ele ser mulherengo…

– O que foi mais difícil interpretar?

Na vertente física foi difícil até encontrar o registo certo. Psicologicamente, tive de acertar com a maneira prática e sem rodeios que é típica do comportamento masculino. Nós mulheres nunca vamos directas ao assunto! Hoje fica um pouco de frustração, porque me escaparam detalhes. Se a série tivesse sido mais longa eu teria tido mais oportunidade de captar mais pormenores para depois os representar.

– Onde é que se vai traduzir a sua masculinidade?

Nas roupas, no caminhar, no modo de me sentar, com as pernas mais abertas. Depois da série acabar passei muitas vergonhas. Os meus amigos é que me iam chamando a atenção para as minhas poses deselegantes. Fiz por aí umas figurinhas muito tristes…..

– Vai ver o primeiro episódio com a família e os amigos?

Não sei quando estreia a série, mas como vou partir já para Nova Iorque vou vê-la certamente no YouTube.

– E como se vai sustentar nos Estados Unidos?

Vou tentar trabalhar, fazer publicidade, tudo o que aparecer.

– E continuar a apostar na sua formação?

Sim, estou já inscrita num workshop, mais vocacionado para castings, e vou frequentar outra escola… Queria continuar a apostar na minha aprendizagem.

– Continua a dar-se bem com a actriz Daniela Ruah?

Claro, é a melhor amiga que tenho nos Estados Unidos. Mas como ela agora está a viver em Los Angeles é difícil contactarmo-nos, porque à hora a que eu estou a levantar-me, está ela a deitar-se…

– Pensa trocar Lisboa por Nova Iorque para viver?

Para sempre não. Mas, para já, quero continuar por lá.

– Vive sozinha em Nova Iorque?

Agora vou viver sozinha, com um gato. Vou arrendar uma casa com um gato lá dentro. Depois espero poder partilhar casa com alguém.

EM “ELE É ELA”: JORNALISTA RESSABIADO

Na revista, a “H+7”, onde se centra a acção da série, António Pedro Cerdeira é Sérgio, o chefe de redacção que não perdoa ver uma estranha, Julieta (Benedita Pereira), assumir o cargo de director quando este desaparece. “Vou reagir mal. Primeiro, porque entendo que sendo chefe eu é que devia assumir o cargo. Depois, porque o Sérgio tenta seduzir Julieta e ela dá-lhe com os pés. Entre os dois vai existir uma tensão permanente”, conta o actor.

PERFIL

Benedita Pereira nasceu no Porto, há 24 anos. Começou a trabalhar como manequim até se deixar seduzir pela representação. Estreou-se na TV com pequenas participações na novela “A Lenda da Garça” e na série “O Bairro da Fonte”. Foi protagonista na primeira série de “Morangos com Açúcar”, onde fazia par romântico com João Catarré. Teve mais dois papéis de destaque nas novelas “Ninguém como Tu” (2006) e “Tempo de Viver” (2006), na TVI.

Fonte: Correio da Manhã


5 Comentários em “Benedita Pereira: “Não foi nada fácil vestir a pele de um homem””

  1. catarina Says:

    Ola

    gravaste o Famashow de hoje (18/10)?
    Porque queria a entrevista do Pedro sobre os carros.



  2. minguilay Says:

    benedita nao deixa o joao



  3. Maily Says:

    ola eu sou Maily es fixe gosto de ti eu sei qe tenho o nome igual á Maily de Hannah Montana é muito divertido ter um nome igual ao dela reponde



  4. carla Says:

    maily, nao tens um nome igual a hannah montana pk o nome dela nao é maily mas sim miley … dah



  5. samuwwe Says:

    benedita pereira nao vem para portugal



Deixa um comentário