Sara Salgado: “Sou mesmo muito mimada”

Outubro 23rd, 2010 Colocado em Morangos

Sara Salgado

Sara Salgado saiu de casa da mãe apenas por seis meses para viver uma aventura no Brasil e saiu-se bem. Recém-chegada, pretende relançar a sua carreira de actriz e ser surpreendida pelo Cupido.

– Esteve a estudar durante meio ano no Brasil. Como é que correu a experiência?

– Adorei. Nunca tinha ido ao Rio de Janeiro. Estava a gravar Mar de Paixão e decidi com uma amiga minha, a Joana Ribeiro Santos, que também é actriz, tirar três cursos na CAL, Casa das Artes das Laranjeiras. Já nos tinham falado muito bem dessa escola e tirámos um curso de teatro, outro de televisão e cinema e um de “musical”. Adorei este último. Já tinha feito dança durante muitos anos, no Conservatório, mas nunca tinha experimentado teatro musical.

– Sente-se mais enriquecida enquanto actriz?

– Claro que sim. Até porque a única formação que tinha tido foi de dança e expressão dramática, no Conservatório. De resto, só aprendi pelo trabalho que tive em televisão e no cinema.

– Estaria preparada para qualquer tipo de trabalho que lhe apresentassem agora?

– Sim, sinto-me muito mais preparada, principalmente na área do teatro.

– E em relação ao cinema, o que pensa?

– Fiz o filme Uma Aventura, no ano passado. O workshop era mais vocacionado para televisão, porque foi dado por um director de novelas da Globo que, inclusive, nos levou ao Projac [Cidade Cinematográfica, no Rio de Janeiro]. Fiquei encantada. Consegui assistir a uma cena da Passione… Passei pela Fernanda Montenegro…

– Como é que se sentiu ao contactar de perto os actores da Globo?

– Senti-me pequenina. Agora percebo o que é que as pessoas sentem quando nos vêem e pedem autógrafos. Confesso que lá não tive coragem de pedir. Mas fiquei muito feliz por ver actores tão bons, que sempre segui e admirei. Até fiquei nervosa. Abala um bocadinho…

– Apesar de terem sido só seis meses, teve oportunidade de fazer algum casting?

– Por acaso, mandei o meu currículo para uma agência, e deixei-o também no Projac, mas não cheguei a fazer nenhum casting. Estava mesmo vocacionada para o curso.

– E em termos pessoais, o que é que retira da experiência?

– Foi óptimo. Não vou mentir, o primeiro impacto não foi o melhor. Estava à espera de outra coisa. Quando saí do aeroporto, senti um cheiro intenso, parecia que cheirava a lixo. É uma mistura do clima tropical com poluição, mas depois habituei-me. No caminho do aeroporto para Ipanema, onde eu vivia, há imensas favelas e nota-se muito a pobreza. No início foi um choque mas depois percebi que é uma cidade maravilhosa.

– Deu para desfrutar da cidade?

– Deu. Foi muito bom.

– Dançou samba?

– Por acaso, não cheguei a aprender, mas dancei funk.

– Como é que dividia o seu dia em termos de estudo e de diversão?

– Tinha aulas à tarde, quatro dias por semana. De manhã íamos para a praia, passear, tomar café… Conheci imensos Portugueses que estavam lá a fazer Erasmus, e também Franceses, Alemães e Brasileiros. Fiz imensos amigos.

– Mantém essas amizades?

– Sim. Por exemplo, um amigo Brasileiro vem agora fazer o Erasmus para Portugal e vamos encontrar-nos.

– Do que é que gostou menos no Brasil?

– Da pobreza. Mas depende das zonas onde se está. Não tive foi qualquer tipo de problemas em relação aos assaltos. Tive amigos que foram assaltados. As pessoas têm de aprender a viver naquela cidade. Eu nem sequer levei nada de valor, porque sabia que não iria usar. Andava com uma mala pequenina, pouco dinheiro, e usava um telemóvel velho. O objectivo era parecer uma brasileira. Não se pode parecer estrangeira, senão associam logo a dinheiro. Até falava com pronúncia.

– Em nenhum momento temeu pela sua segurança, portanto…

– Por acaso, não. Por acaso, aconteceu a uns amigos na rua onde morava. Mas os medos justificam. A cidade é maravilhosa.

– Deu para sentir saudades de Portugal?

– No início tive bastantes saudades, principalmente da minha família e dos meus amigos e da comida também. Acho que cresci imenso com esta experiência. Faz parte estarmos longe das pessoas que gostamos para darmos valor.

– Foi a primeira vez que morou sem os seus pais?

– Sim, moro com a minha mãe, e foi a primeira vez que saí de casa dela, mas correu bem. Tive que me habituar a cozinhar. Vivíamos três raparigas e nenhuma estava habituada a fazer as tarefas domésticas mas acho que fomos umas boas donas de casa.

– E como é que foi viver longe da sua mãe?

– Tive imensas saudades da minha mãe mas ela foi lá uma vez. Fomos passear e jantámos em restaurantes bons, porque eu lá não podia gastar muito dinheiro. Ainda bem que ela foi lá, senão ia morrer de saudades. Sou filha única, e sou mesmo muito mimada.

– Agora que está de regresso, tem novos projectos?

– Por enquanto, não. Ainda vou gravar umas cenas de Mar de Paixão, já fiz uns castings e estou à espera. Estou optimista. Acho que vai aparecer alguma coisa.

– O que é que lhe apetecia fazer agora?

– Cinema. Gostei muito da experiência. Há mais tempo para tudo. Mas também adoro o ritmo de televisão.

– É duro o tempo em que se espera por um novo projecto?

– É um bocadinho. Foi por isso que fui para o Rio de Janeiro.

– Foi a série Morangos com Açúcar que a catapultou para a fama. As pessoas ainda a associam à personagem?

– Muito mesmo, e agora ainda mais, porque a minha imagem está parecida à daquela altura.

– Nessa fase tinha 16 anos. Como é que foi lidar com a fama?

– Lidei bem. As crianças vinham falar comigo e pedir para tirar fotos. Agora não. Reconhecem-me mas não falam tanto comigo. Sou eu própria, e nunca me modifiquei por causa disso. Sei que é bom aparecer, para as pessoas se lembrarem de mim, mas não gosto de estar no auge. Não quero que a minha carreira seja feita de altos e baixos, quero que seja um crescendo.

– Sempre teve os pés bem assentes na terra?

– Sim. Sou sempre eu. Tenho os meus valores e a minha educação. Se calhar tornei-me mais extrovertida, porque era muito tímida. Foi uma coisa positiva.

– No meio artístico, fazem-se verdadeiras amizades?

– É como em todo o lado. Há pessoas boas e más. Mas fiz alguns amigos.

– E os amigos que tinha antes de ser famosa, continua a estar com eles?

– Sim, posso dizer que alarguei o meu leque de amigos.

– Como é que eles lidam com o seu trabalho?

– Eles gostam muito de brincar, e dizem que agora que sou famosa não quero sa-ber deles. Mas eles gostam muito de me ver, são meus fãs.

– E em relação aos rapazes, o facto de ser figura pública afasta-os ou aproxima-os?

– Depende, há uns que ficam com medo e acham que sou intocável, mas há outros que têm “lata” e aproximam-se.

– Durante estes quatro anos, nunca apareceu publicamente com um namorado. Ainda não surgiu a pessoa certa?

– Eu tive namorados, mas ninguém soube e não foram figuras públicas. Nenhuma das relações que tive foi séria ao ponto de apresentar assim publicamente. Imagine-se que o namoro acabava passado pouco tempo, depois escreviam que estávamos separados… Quando achar que seja uma relação que vá durar algum tempo e que mereça esse cuidado, irei apresentar.

– Neste momento, está solteira?

– Estou, sim.

– Como é o seu homem ideal?

– Principalmente, tem que me respeitar e compreender o meu trabalho, que às vezes é ingrato. Temos que fazer par romântico, e há pessoas que não entendem isso. Também é importante que tenha sentido de humor, porque adoro rir e pessoas bem-dispostas e optimistas.

– Está com vontade de se apaixonar?

– Se acontecer, acontece. Não estou à espera de nada. Essas coisas são inesperadas.

– O casamento é um sonho para si?

– Ainda sou muito nova mas qualquer pessoa idealiza isso, ainda por cima sou católica. Em todos os “casamentos” que fiz, gostei muito de ver a noiva a entrar na igreja.

– É um momento que ainda está longe?

– Sim, ainda só tenho 20 anos.

– Apesar de ser muito nova, já pensa em ser mãe?

– Claro que sim. Quero, pelo menos, ter uma menina. Adoro meninas e as suas roupas e penteados.

– Tem algum sonho que gostasse muito de concretizar?

– É impossível, mas gostava de ser feliz todos os dias e viajar muito. Adorava fazer uma viagem de um ano pelo Mundo inteiro. Quando tiver o meu dinheiro de parte faço isso.

– E em termos profissionais, qual é o seu grande sonho?

– É continuar a trabalhar nesta área, que é do que gosto mesmo. Também quero acabar o meu curso superior de Marketing, mas quero mesmo ser actriz. Este curso é só mesmo para o caso de não ter trabalho.

– Foram os seus pais que a aconselharam a tirar um curso?

– Não, eu sempre quis. Até já devia ter acabado mas, com o trabalho à mistura, é complicado.

– Pensa acabar neste ano?

– Neste ano não me inscrevi na faculdade, porque cheguei tarde e não consegui mesmo inscrever-me.

– É ambiciosa?

– Sou. Mas não sou muito. Quero chegar aos meus objectivos mas não passo por cima dos outros. Tento lutar por um bom futuro para mim.

– Quais é que são os seus defeitos?

– De manhã, sou um bocadinho maldisposta, sou bastante teimosa, gosto de dormir até tarde…

INTIMIDADES

– Quem gostaria de convidar para um jantar a dois?

– O meu avô, que faleceu recentemente. Tínhamos uma relação muito próxima.

– Não consigo resistir a…

– … dormir até tarde.

– Se pudesse, o que mudava em si, no corpo e no feitio?

– Gostava de ser um bocadinho mais calma, sou muito nervosa. No corpo, acho que não mudaria nada.

– Sinto-me melhor quando…

– … estou com as pessoas de quem gosto e me estou a divertir.

– O que não suporta no sexo oposto?

– Os homens, às vezes, são muito convencidos. Também não gosto que sejam mal-educados. Por vezes, a forma como nos abordam não é a forma mais correcta.

– Qual é o seu pequeno crime diário?

– É fumar. Não fumo muito, mas um cigarrinho sabe-me muito bem.

– O que seria capaz de fazer por amor?

– Seria capaz de ir à Austrália, que é no outro lado do Mundo.

– Complete. A minha vida é…

– … versátil. Já fiz tanta coisa… Já dancei, já viajei, cantei, represento, estudo, dou-me com todos os tipos de pessoas…

PERFIL

Sara Salgado tem 20 anos e tornou-se conhecida dos portugueses em 2006, quando participou na série Morangos com Açúcar. Seguiu-se Equador, Olhos nos Olhos, Um Lugar para Viver e Mar de Paixão, todas produções da TVI. Esteve cinco anos no Conservatório de Dança.

Fonte: Correio da Manhã


1 Comentário em “Sara Salgado: “Sou mesmo muito mimada””

  1. Mafalda LOL LOL LOL Says:

    É mesmo mimada????

    Será?



Deixa um comentário