Família Freire em Morangos com Açúcar 9

Setembro 7th, 2011 Colocado em Morangos com Açúcar 9

Roberto Freire

Professor na Escola do Forte, é um homem austero, de poucas falas e muito exigente. Lecciona físicoquímica e matemática ao 7º ano e química e matemática aos alunos do 11º e 12º anos. É o único professor que se veste formalmente (fato e gravata) nas aulas. Na escola, choca algumas vezes com a directora Dulce por considerá-la demasiado benevolente com os alunos.

É casado com Carmen, mas não têm um casamento feliz. Nunca se divorciou por causa dos filhos, mas a relação deles é tudo menos harmoniosa. As discussões em casa da família Freire são uma constante com Kiko sempre a tomar o partido da mãe e Bruno o do pai.

A excelência faz parte da vida de Roberto e sempre foi muito exigente com os filhos, apesar de nunca ter conseguido que Kiko gostasse de estudar. Ao contrário do que se poderia esperar, pela sua austeridade, Roberto apoia o sonho de Bruno em ser designer de moda, pois vê que o filho é aplicado, estudioso e sabe o que quer. Carmen nunca aceitou esta decisão de Roberto e a escolha do filho é assim mais um elemento de conflito entre o casal.

Carmen Freire

É uma mulher amarga, infeliz e frustrada que nunca se perdoou a si própria, ao marido e ao filho Bruno por não ter concluído a licenciatura. Engravidou no início do namoro com Roberto, quando ainda estava a estudar. Com bastante esforço conseguiu conciliar a faculdade com a maternidade. No entanto, quando engravidou pela segunda vez as coisas ficaram mais complicadas e Roberto incentivou-a a ficar em casa para se dedicar aos filhos. Carmen aceitou e concordou, mas mais tarde arrependeu-se e começou a acusar o marido e o filho de serem responsáveis pelo seu destino.

Carmen é a dona do café Suspiro na Rua das Artes. O facto de não se sentir realizada, nem a nível pessoal nem profissional, condiciona a sua maneira de ser e de se relacionar com os outros.

Tem uma péssima relação com o filho mais novo, Bruno, e uma excelente relação o filho mais velho, Kiko. Nunca aprovou a escolha de Bruno em ser estilista e nunca perdoou ao marido tê-lo feito. Considera que esta escolha está relacionada com a sua sexualidade, pois acredita que o filho é homossexual, mas que não tem coragem para o admitir.

A sua relação com Roberto é má, mas nunca se decidiram pelo divórcio. As discussões em casa da família Freire são uma constante com Kiko sempre a tomar o partido da mãe.

Francisco Freire

É aluno do 12º ano da Escola do Forte. É o menino querido da mãe, Carmen, que o estraga com mimos e lhe faz todas as vontades. É um aluno razoável, pratica esgrima e diz que quer ser médico, porque a mãe tem gosto nisso, apesar de não ter notas para tal. É arrogante, convencido e não perde uma oportunidade para humilhar seja quem for, especialmente o

irmão, Bruno, que frequenta a escola de moda. Nunca se interessou por nenhuma rapariga em especial e limita-se a ter umas “curtes” sem importância.

Os seus melhores amigos são Ricardo, o líder da escola, e Marcus. Os três andam sempre juntos e em confronto com André e Nuno, bem como com os restantes alunos de Moda. Vão ainda fazer de tudo para infernizar a vida ao recém-chegado Bryan.

As relações familiares também não são pacíficas. Kiko dá-se muito mal com o pai e com o irmão e, nas discussões familiares, está sempre do lado da mãe. Kiko acha que o pai não é suficiente bom para a mãe e tem vergonha do irmão. Talvez por isso adore ver os pais discutir.

Bruno Freire

É aluno do 11º ano de Design de Moda da Escola do Forte. Desde sempre teve grande apetência para o desenho e gostava, acima de tudo, de desenhar roupas que a avó costurava para as bonecas das primas. Por ser um excelente aluno, prevê-se que consiga encontrar um lugar de destaque no mundo da moda.

Ao início, os pais, Roberto e Carmen, eram contra a profissão que escolhera e olhavam, tal como toda a família, com estranheza para este gosto do filho. No entanto, com o passar do tempo, o pai começou a aceitar e a compreender a sua vocação. Ele explicou-lhe que ser estilista era uma profissão tão digna como outra qualquer e que aquele era o seu sonho. Para Bruno esta aceitação do pai foi muito importante, já que a mãe se continua a opor à sua escolha.

Bruno é um excelente rapaz e sofre ao perceber que o casamento dos pais não é pacífico e que algumas das discussões, que fazem parte do dia-a-dia desta família, são provocadas por ele e pelo seu sonho de ser estilista.

Um dos seus grandes amigos é Sebastião, que muitas vezes o arrasta para situações complexas e divertidas.


Deixa um comentário