Família Garcia em Morangos com Açúcar 9

Setembro 7th, 2011 Colocado em Morangos com Açúcar 9

Isabel Garcia

É uma mulher que vive uma vida falsa. Quer parecer mais jovem do que é. Veste-se como a filha e, quando andam juntas, gosta que as pessoas pensem que são irmãs.

Sonhava em ser modelo, mas não tinha meios económicos para tal. Começou a trabalhar num restaurante aos 18 anos e foi lá que conheceu Gabriel Lima, o pai da sua filha Verónica. Mesmo sabendo que ele era casado, a ambição falou mais alto e Isabel seduziu-o. A relação entre os dois durou algum tempo, mas nunca houve amor. Isabel gostava do dinheiro e dos presentes caros que Gabriel lhe dava e ele sentia-se bem com uma rapariga de 18 anos que lhe alimentava o ego. Quando sentiu que Gabriel se estava a afastar, engravidou. Para evitar escândalos, Gabriel decidiu não a contrariar e passou a pagar-lhe uma choruda mesada. Isabel e Gabriel nunca mais tiveram qualquer tipo de relação e a única coisa que os liga é a transferência mensal que Gabriel faz para ela e para a filha.

Isabel idolatra a filha e quer que esta seja o que ela não conseguiu ser – alguém no mundo da moda. Educou-a de forma a ser uma miúda mimada, egoísta e fútil e vive o sonho da filha (ou a filha o dela).

Verónica Garcia Lima

Frequenta o 12º ano do curso de Design de Moda e sonha com a fama e o mundo glamouroso das passerelles. É o protótipo da menina mimada que foi tratada como uma princesa. Ambiciona ter a sua marca de roupa e desfilar as próprias criações. É muito bonita e vistosa e sabe fazer uso dos seus atributos físicos para conseguir o que quer.

Vive com a mãe, Isabel, que a idolatra e quer que a filha seja o que ela não conseguiu – modelo. A relação das duas é boa, mas como tudo o resto na sua vida, é muito superficial. Verónica é viciada em compras. Só gosta de roupas de marca e tem um estilo muito sofisticado. Ela e a mãe usam muitas vezes a mesma roupa. Não tem qualquer relação com o pai nem com a família deste.

Verónica é fútil, sem escrúpulos e, tal como a mãe, acha que os meios justificam sempre o fim. Odeia Ana Rita, pois não aguenta que a outra seja melhor que ela em tudo. A sua única amiga é Magda, mas Verónica aproveita-se dela e usa-a quase como secretária pessoal.


Deixa um comentário