Rita Pereira assaltada: Pena pode chegar aos cinco anos

Novembro 21st, 2009 Colocado em Morangos

“João”, nome fictício do jovem que comprou o telemóvel de Rita Pereira na Feira da Ladra, em Lisboa, e o tentou devolver a troco de dinheiro, afirma-se incrédulo com as repercussões do caso. Acusado de extorsão, “João”, de 22 anos, poderá cumprir pena de prisão até cinco anos.

“Nunca pensei que isto tomasse estas proporções. Não sabia que estava a cometer um crime quando liguei à Rita Pereira e lhe disse que lhe devolvia o telemóvel a troco do preço que eu paguei por ele [200 euros]. Não fiz chantagem nenhuma, ela é que me propôs uma recompensa”, volta a defender-se “João”, mostrando-se preocupado com o seu futuro. “Não sei o que me vai acontecer. Ainda não foi marcado o julgamento, mas a minha advogada já me disse que posso ser preso durante cinco anos.”

Calisto de Melo, advogado da área criminal, explica ao Correio da Manhã o enquadramento do caso. “À luz dos princípios gerais de Direito e em termos abstractos, o suspeito não deverá apanhar no conjunto cinco anos. Em princípio cumprirá pena suspensa na sua execução, uma vez que há uma série de atenuantes: a idade [22 anos], ser primário, ter confessado de imediato o crime e ter colaborado com a investigação. No entanto, será sempre condenado pelo crime de receptação, uma vez que adquiriu um bem roubado, e de extorsão, porque pediu dinheiro para o devolver. Além disso, a lesada, neste caso a Rita, poderá deduzir um pedido de indemnização por danos morais”, esclarece o advogado.

“O MEU FILHO NUNCA FEZ MAL A NINGUÉM”

“Quando o meu filho me mostrou o telemóvel que tinha comprado na Feira da Ladra e eu vi as fotografias da Rita Pereira com o namorado, disse-lhe logo que ele estava metido num grande sarilho”, revela ao CM a mãe do suspeito, que também prefere manter-se no anonimato. A noite de 8 de Novembro nunca será apagada da sua memória.

“Ele não apareceu em casa para dormir e eu fiquei com o coração nas mãos. Pensei que tivesse acontecido alguma coisa de grave. O meu filho nunca fez nada de mal, nunca roubou ninguém e sempre foi muito honesto. Não merecia isto”, lamenta.

Fonte: Correio da Manhã


Deixa um comentário